A Pregnenolona é produzida em diversos órgãos e tecidos como a glândula adrenal, fígado, pele, gônadas (testículos e ovários), tecido nervoso e até n... Continuar lendo

Categoria Terapia de reposição hormonal

Administração
Uso Oral
Uso Tópico
Controlado
Não
Indicação
A Pregnenolona é produzida em diversos órgãos e tecidos como a glândula adrenal, fígado, pele, gônadas (testículos e ovários), tecido nervoso e até nas células da retina. A quantidade produzida no organismo irá depender da quantidade de colesterol nas mitocôndrias das células produtoras, pois são nessas organelas que as enzimas que convertem colesterol em Pregnenolona estão presentes.
Seu uso é indicado em casos de:
Mal de Alzheimer: Vinte pacientes com esta doença estão tomando 50mg de Indometacina e 525mg diários Pregnenolona. As primeiras evidências sugerem bons resultados.
Memória e Raciocínio: O hormônio é conhecido também por interagir com receptores NMDA (N-metil-D- aspartato). Este receptor tem um importante papel neuronal, pois regula a função e a forma das sinapses em nossos neurônios, o que influencia no aprendizado e na memória. Com o envelhecimento, o número desses receptores
INFORMATIVO TÉCNICO
diminui fazendo com que a capacidade de aprendizado e memória também diminuam. Não há dosagem estabelecida.
Humor: Alguns estudos comprovam que pessoas que sofrem depressão têm um nível bem menor de Pregnenolona que o normal. Não há dosagem estabelecida.
Colesterol: O uso de medicamentos como a Lovastatina (que inibe a enzima conversora de colesterol no fígado) além de diminuir o colesterol circulante também, é claro, diminui os níveis de Pregnenolona. Estudos indicam que o uso contínuo de tais medicamentos pode causar depressão, comportamento violento e até suicídio. O uso concomitante da Pregnenolona com esses tipos de drogas pode servir para se evitar esse efeito a longo prazo.
Escleroderma: Doença que se manifesta por um aumento da rigidez cutânea. Existem relatos de casos nos quais pacientes que sofriam desse mal utilizaram Pregnenolona na dosagem de 250mg. Na primeira semana já sentiram a melhora na região do rosto e durante as cinco semanas posteriores apresentaram uma melhora na textura e elasticidade da pele. Após isso, o tratamento foi suspenso e os resultados alcançados persistiram.
Esclerose Múltipla: A esclerose múltipla é uma doença caracterizada pela desmielinização dos nervos. Curiosamente, a célula envolvida na mielinização contém altas concentrações de Pregnenolona e DHEA. Com base nesse fato, desde 1990 o DHEA é ministrado para minimizar os efeitos da esclerose múltipla. Como altas doses de DHEA podem levar à masculinização, os pesquisadores têm administrado menores doses de DHEA, mas combinando-a com Pregnenolona. Os resultados parecem promissores, uma vez que a melhora clínica é notável e os efeitos colaterais são em muito reduzidos. Em ambos os casos ainda não há dosagem estabelecida.
Tensão Pré-menstrual: Ainda não há estudos controlados, mas pacientes que utilizaram de 10 a 50mg diários de Pregnenolona relataram redução dos sintomas.
Posologia
Geralmente, as concentrações utilizadas variam de 5 a 100mg/dia, de acordo com a patologia a ser tratada. A necessidade e dosagem de DHEA deve ser determinado por um médico, de acordo com a condição a ser tratada e as necessidades do paciente.
Restrições
Uso adulto
Interações Medicamentosas
A utilização de DHEA concomitantemente a medicamentos para o tratamento de HIV (AZT, por exemplo) pode potencializar os efeitos destes medicamentos aumentando os riscos de reações adversas. Não utilize DHEA junto com medicamentos para o tratamento do câncer, anticoncepcionais, se estiver fazendo terapia de reposição hormonal com testosterona ou se utilizar insulina.
Reações Adversas
A DHEA é um hormônio, e, portanto, recomenda-se utiliza-lo sob a supervisão e recomendação de um médico. As reações adversas relatadas com o uso de pregnenolona foram: rachaduras na pele, insônia, fadiga, aumento da oleosidade da pele e cabelos, hipotireoidismo, perda excessiva de cabelo, aumento nos níveis de colesterol, congestão nasal. Em mulheres, o uso de DHEA pode causar engrossamento da voz, crescimento de pelos faciais, alterações no ciclo menstrual. Nos homens, pode ocorrer ginecomastia (aumento dos seios) e aumento da sensibilidade nesta região, agressividade.
Contraindicação
Não utilize este medicamento se você tem hipersensibilidade (alergia) conhecida à pregnenolona ou a qualquer componente da fórmula.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.
Tipo de Receita
Receita Simples (branca, 1 via)
Sugestão de fórmula manipulada
Cápsulas; Cremes; Géis

Bibliografia
Observações
Foto de Leticia Saifert Picoli
Leticia Saifert Picoli
CRF: 21337
Farmacêutica, e Mestranda em Ciências Farmacêuticas - CRF/PR: 21337. Atuou como consultora na Manipulaê para monitorar e revisar a criação de conteúdo técnico. Farmacêutica Industrial, especialista em Farmacologia Clínica, MBA em Gestão Estratégia Farmacêutica pela FIA. Atuante nas áreas de Gestão de Produto, Marketing Institucional e Novos Negócios.