Cloridrato de minoxidil para uso interno é um medicamento de uso oral com efeito prolongado, que reduz as pressões arteriais sistólica (pressão máxima... Continuar lendo

Categoria Vasodilatadores

Administração
Uso Oral
Controlado
Não
Indicação
Cloridrato de minoxidil para uso interno é um medicamento de uso oral com efeito prolongado, que reduz as pressões arteriais sistólica (pressão máxima) e diastólica (pressão mínima). A redução da pressão arterial resulta de um relaxamento seletivo da musculatura lisa arteriolar periférica (musculatura da parede dos vasos sanguíneos). Está indicado no tratamento da hipertensão arterial (pressão alta). Entretanto, é usado somente em casos de hipertensão arterial grave diagnosticada pelo seu médico, quando a doença causa danos a órgãos vitais ou quando outros medicamentos não são suficientemente eficazes ou produzem muitos efeitos colaterais.
Posologia
A dosagem e o número de tomadas diárias deverá ser ajustado pelo médico em acordo com a patologia que o paciente apresenta. Para pacientes adultos, a dosagem varia de 5 a 40 mg/dia sendo a dose máxima recomendada: 100 mg/dia.
Restrições
Uso adulto e pediátrico
Interações Medicamentosas
A administração concomitante de cloridrato de minoxidil com diuréticos ou outros anti-hipertensivos pode resultar em efeitos aditivos graves. Estrógenos (hormônios femininos) podem causar retenção hídrica, elevando a pressão arterial e, portanto, antagonizando os efeitos do minoxidil. Os anti-inflamatórios não esteroidais (drogas que bloqueiam a inflamação e que não são derivadas de hormônios) podem alterar a resposta aos anti-hipertensivos devido à inibição das prostaglandinas (substâncias que causam dilatação dos vasos). Agentes simpaticomiméticos tais como, cocaína, dobutamina, dopamina, efedra, efedrina, epinefrina, metaraminol, metoxamina, norepinefrina, fenilefrina e fenilpropanolamina podem antagonizar os efeitos anti-hipertensivos do minoxidil quando administrados concomitantemente.
Reações Adversas
Reação muito comum: taquicardia, pericardite, eletrocardiograma anormal, hipertricose e alterações na cor do cabelo.
Reação comum: retenção de líquido, edema (inchaço do corpo), derrame pericárdico, tamponamento pericárdico e distúrbio gastrintestinal.
Reação incomum: efusão pleural, sensibilidade nas mamas.
Reação rara: leucopenia (redução de células de defesa no sangue), trombocitopenia (diminuição das células de coagulação do sangue: plaquetas), Síndrome de Stevens-Johnson (reação alérgica grave com bolhas na pele e mucosas), dermatite bolhosa e rash (vermelhidão da pele).
Contraindicação
Cloridrato de minoxidil não deve ser usado por pacientes com feocromocitoma (tumor formado por células produtoras de adrenalina), pacientes com porfiria (deficiência de enzimas produtoras de hemoglobina) e pacientes hipersensíveis ao minoxidil ou a qualquer componente da fórmula.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando sem orientação médica ou do cirurgiãodentista.
Tipo de Receita
Receita Simples (branca, 1 via)
Sugestão de fórmula manipulada
Cápsulas

Bibliografia
Observações
Foto de Leticia Saifert Picoli
Leticia Saifert Picoli
CRF: 21337
Farmacêutica, e Mestranda em Ciências Farmacêuticas - CRF/PR: 21337. Atuou como consultora na Manipulaê para monitorar e revisar a criação de conteúdo técnico. Farmacêutica Industrial, especialista em Farmacologia Clínica, MBA em Gestão Estratégia Farmacêutica pela FIA. Atuante nas áreas de Gestão de Produto, Marketing Institucional e Novos Negócios.