O Cetoconazol é derivado imidazólico sintético, empregado como agente antimicótico. Apresenta um amplo espectro de atividade, incluindo contra dermat... Continuar lendo

Categoria Antifúngico imidazólico

Administração
Uso Oral
Uso Tópico
Controlado
-
Indicação
O Cetoconazol é derivado imidazólico sintético, empregado como agente antimicótico. Apresenta um amplo espectro de atividade, incluindo contra dermatófitos e leveduras. Apresenta também atividade contra o Trichomonas vaginalis, Blastomicose, candidíase disseminada ou localizada, Cromomicose, Coccidioidomicose, Histoplasmose, Tineas e Paracoccidioidomicose.
Posologia
Deve ser ministrado com alimentos para reduzir as náuseas e vômitos e facilitar sua absorção. Forma oral: 200mg 1 vez ao dia durante 3 a 5 dias (candidíase vulvovaginal); de 200 a 400mg uma vez ao dia em infecções fúngicas do trato urinário; septicemia fúngica: 400mg a 1g uma vez ao dia. Tineas: 200mg 1 vez ao dia durante 5 ou 10 dias. Outras infecções: 200 a 400mg 1 vez ao dia. Dose máxima: até 1g diário. Doses pediátricas usuais: não foi estabelecida dose para lactantes e crianças até 2 anos; crianças maiores de 2 anos - oral: de 3,3 a 6,6mg/kg 1 vez ao dia. Uso externo: 1 – 2% em cremes, loções ou soluções na zona afetada da pele e zonas adjacentes, 2 vezes ao dia.

USO VETERINÁRIO Vem sendo utilizado em associação com a Anfotericina B para tratamento de micoses profundas com eficácia imediata do Cetoconazol e longa duração da terapia antimicótica. Neste caso, a dose acumulada de Anfotericina B é reduzida, o que minimiza seu risco de toxicidade. Também tem sido utilizado para tratamento de hiperadrenocorticismo em cães. Dosagem terapêutica: Cães – 10mg/Kg a cada 12 – 24h via oral Gatos – 10mg/Kg a dada 12h via oral Cavalos - 10mg/Kg a cada 24h via oral Para os três – 2% na forma de xampu e 1 – 2% na forma de creme loção ou solução para uso externo.
Restrições
Uso adulto
Interações Medicamentosas
O cetoconazol é metabolizado principalmente através do CYP3A4. Outras substâncias que também dividem essa via metabólica ou que modificam a atividade de CYP3A4 podem influenciar a farmacocinética de cetoconazol. De forma semelhante, o cetoconazol pode modificar a farmacocinética de outras substâncias que dividem a mesma via metabólica. O cetoconazol é um potente inibidor do CYP3A4 e um inibidor da glicoproteína-P. Quando usar outra medicação concomitante, a bula correspondente deve ser consultada para informação sobre a rota de metabolismo e sobre a possível necessidade de ajuste de doses. Estudos de interação foram realizados apenas em adultos. A relevância dos resultados desses estudos em pacientes pediátricos é desconhecida.
Reações Adversas
Pode causa náuseas, vômitos, diarreias, enjoos, sonolência. Erupção cutânea ou prurido. Caso persistirem, requerem atenção médica. Caso ocorrerem urina escura, fezes pálidas, cansaço ou debilidade não habituais ou icterícia, será necessário atenção médica imediata. Foram descritos casos de hepatite em crianças e hepatotoxicidade geralmente reversível, quando o tratamento com Cetoconazol é suspenso.
Contraindicação
Seu uso é contraindicado em casos de hipersensibilidade ao Cetoconazol. Doença hepática. Gravidez. Lactação. Evitar a ingestão de bebidas alcoólicas. A relação risco-benefício deverá ser avaliada nos casos de acloridria, alcoolismo ativo ou tratado ou na disfunção hepática.
Tipo de Receita
Receita Simples (branca, 1 via)
Sugestão de fórmula manipulada
Capsulas / Loções/ pomadas/ shampoo

Bibliografia
Observações
Foto de Leticia Saifert Picoli
Leticia Saifert Picoli
CRF: 21337
Farmacêutica, e Mestranda em Ciências Farmacêuticas - CRF/PR: 21337. Atuou como consultora na Manipulaê para monitorar e revisar a criação de conteúdo técnico. Farmacêutica Industrial, especialista em Farmacologia Clínica, MBA em Gestão Estratégia Farmacêutica pela FIA. Atuante nas áreas de Gestão de Produto, Marketing Institucional e Novos Negócios.