Síndrome metabólica - tratamento com remédio manipulado + 4 dúvidas

HOME < ARTIGOS < LER ARTIGOS DETALHES
Foto de Síndrome metabólica - tratamento com remédio manipulado + 4 dúvidas

A mistura de má alimentação com sedentarismo gera um dos principais problemas de saúde do século XXI: a obesidade. Um estudo global feito pelo Instituto de Métricas e Avaliação em Saúde (IHME) da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, revelou que 2,2 bilhões de pessoas, ou seja, 30% da população mundial, têm sobrepeso ou obesidade. No Brasil, conforme dados do Ministério da Saúde, mais da metade (54%) da população possui sobrepeso e cerca de 19% das pessoas são obesas.

Além de ser um grande problema por si só, a obesidade tem o potencial de acarretar outras riscos sérios à saúde, como aumento da pressão arterial, açúcar elevado no sangue, excesso de gordura corporal na cintura e os níveis de colesterol ou triglicérides anormais. A união de tudo isso pode desencadear na chamada síndrome metabólica.

E é justamente a síndrome metabólica que vamos abordar neste texto. O que é exatamente a síndrome metabólica? Quais os fatores de risco? Existe cura? Tem como prevenir? Essa e outras questões, responderemos abaixo. Confira.

O que é a síndrome metabólica?

Como mencionado acima, a síndrome metabólica é um conjunto de doenças que associadas, levam ao aumento do risco de problemas cardiovasculares. Esta síndrome é decorre principalmente de doenças como a obesidade, caracterizada pelo aumento de cintura abdominal, pressão alta, alterações de colesterol, triglicérides e glicemia.

A síndrome metabólica tem como base a resistência à insulina, que é um processo que acontece devido ao ganho de peso, mas também pode começar com o diabetes tipo 2. A causa mais comum é o ganho de peso, que leva ao aumento da pressão arterial, ao desenvolvimento do diabetes tipo 2 e às alterações de triglicérides e colesterol.

O que exatamente pode causar a síndrome metabólica?

As causas que pode levar uma pessoa a desenvolver a síndrome metabólica são bastante complexas e na maioria dos casos são resultantes de diversos fatores, não se encontrando ainda totalmente esclarecidas. Algumas das principais causas que podem ajudar a desenvolver a síndrome metabólica são:

  • Sedentarismo

  • Dietas ricas em carboidratos e açúcares

  • Envelhecimento

  • Fatores genéticos

  • Distúrbios hormonais

  • Resistência à insulina

  • Rotina irregular de sono e alimentação

Todos esses sintomas encontram-se estritamente relacionados. Uma má dieta e o sedentarismo frequentemente levam, por um lado, a um aumento dos níveis de colesterol que se deposita na parede dos vasos, uma condição designada aterosclerose e por outro a obesidade.

Quais são os fatores de risco da síndrome metabólica?

Os fatores de risco principais são aqueles que levam ao ganho de peso, como alimentação com excesso de carboidratos simples e gorduras saturadas, além é claro, do sedentarismo. Outro fator que pode aumentar o risco cardíaco e potencializar as consequências da síndrome metabólica ao coração é o tabagismo.

Além disso, o histórico familiar de problemas cardíacos é outro fator determinante quando analisado o impacto na síndrome metabólica no organismo. Os sintomas mais comuns da síndrome metabólica são consequência das doenças associadas, como:

  • Ganho de peso: cansaço, dores articulares por sobrecarga, síndrome da apneia obstrutiva do sono e roncos. Alterações menstruais nas mulheres, como ovários policísticos, e perda da libido em homens podem também ser sintomas pouco valorizados

  • Problemas de colesterol: aumento do risco de infarto e derrame, tonturas

  • Hipertensão: dores de cabeça, mal estar em geral, cansaço e tonturas ou zumbidos

  • Diabetes e alterações de glicemia: boca seca, perda de peso e muita sede nos casos mais agudos e nos casos de desenvolvimento mais lento da doença, mal estar geral, tonturas e cansaço.

Existem dois sinais no corpo que podem ajudar a identificar o desenvolvimento da resistência insulínica, são eles:

  • Acrocórdons: corresponde a um crescimento da pele do pescoço, levando ao aparecimento de lesões que lembram pequenas verrugas escurecida

  • Acantose nigricans: escurecimento da pele, chamado de hiperpigmentação, em regiões das dobras como parte interna dos cotovelos, axilas e pescoço. Nessas regiões a pele terá um aspecto mais aveludado.

Qual o diagnóstico da síndrome metabólica?

O diagnóstico leva em conta as características clínicas e dados laboratoriais. Basta a associação de três de determinados fatores para diagnosticar a síndrome metabólica. São eles:

  • Glicemia em jejum oscilando entre 100 e 125, ou entre 140 e 200 depois de ter tomado glicose;

  • Valores baixos de HDL, o colesterol bom, e elevados de LDL, o mau colesterol;

  • Níveis aumentados de triglicérides e ácido úrico;

  • Obesidade central ou periférica determinada pelo índice de massa corpórea (IMC), ou pela medida da circunferência abdominal (nos homens, o valor normal vai até 102 e nas mulheres, até 88), ou pela relação entre as medidas da cintura e do quadril.

  • Alguns marcadores no sangue, entre eles a proteína C-reativa (PCR), são indicativos da síndrome.

Remédio manipulado para síndrome metabólica

Com a perda de peso e a adoção de hábitos saudáveis a Síndrome Metabólica pode ser controlada e em muitos casos as doenças decorrentes da melhora da resistência insulínica, como o diabetes, podem ficar tão bem controladas que o paciente pode ficar sem medicamentos. Em casos em que o paciente perde peso e resolve a maior parte das doenças associadas à síndrome metabólica, é possível sim chegar à cura.

Para isso, o recomendado é investir em uma alimentação saudável e a realização de atividades físicas regulares, cerca de 150 minutos por semana. Esses dois fatores são essenciais para manter ou reduzir o peso, controlar a pressão e o colesterol. Além disso, para tratar a diabetes, pressão alta e colesterol alto muitas vezes o uso de medicamentos será necessário.

Após consultar um especialista e ter a receita em mãos, você pode solicitar a preparação do medicamento manipulado, feito especialmente para o seu organismo, considerando todas as suas características. Com o aplicativo do Manipulaê, você resolve isso de forma rápida, prática e segura.

Já tem uma receita médica em mãos? Faça uma cotação gratuita na Manipulaê! Em seguida, nossas farmácias de manipulação parceiras vão lhe enviar orçamentos direto para o seu e-mail. Assim, fica muito mais fácil de você comparar e comprar pelo melhor preço o produto manipulado! http://bit.ly/cotar-produtos-manipulados


Leticia Saifert Picoli
23/04/2019
Foto de Leticia Saifert Picoli
Leticia Saifert Picoli
CRF: 21337
Farmacêutica, e Mestranda em Ciências Farmacêuticas - CRF/PR: 21337. Atuou como consultora na Manipulaê para monitorar e revisar a criação de conteúdo técnico. Farmacêutica Industrial, especialista em Farmacologia Clínica, MBA em Gestão Estratégia Farmacêutica pela FIA. Atuante nas áreas de Gestão de Produto, Marketing Institucional e Novos Negócios.

Outros Artigos

Foto de D-pantenol: 5 benefícios desse ativo para os cabelos
D-pantenol: 5 benefícios desse ativo para os cabelos

O D-pantenol, também conhecido como pró-vitamina b5, é uma vitamina produzida tanto no cabelo, quanto na pele, sendo bastante ...

Foto de Saiba o que é, para que serve quais são os benefícios do DMAE
Saiba o que é, para que serve quais são os benefícios do DMAE

Com o decorrer do tempo, quanto mais velho o organismo fica, mais natural é a sensibilidade dos músculos. Isso consequentemente acaba...

Foto de Sofre com espasmos musculares? Saiba como ciclobenzaprina pode ajudar
Sofre com espasmos musculares? Saiba como ciclobenzaprina pode ajudar

Algo bem comum na rotina de quem pratica exercícios físicos são os chamados espasmos musculares, uma espécie de contra&...