A Morus nigra L., Moraceae, é uma espécie vegetal que tem sua origem na Ásia, e está plenamente aclimatizada no Brasil (Cruz, 1979). Essa planta é pop... Continuar lendo

Categoria Anti-inflamatória

Administração
Uso Oral
Controlado
-
Indicação
A Morus nigra L., Moraceae, é uma espécie vegetal que tem sua origem na Ásia, e está plenamente aclimatizada no Brasil (Cruz, 1979). Essa planta é popularmente conhecida como amoreira-preta. Diversas partes como raiz, folha, casca e frutos são empregadas na medicina popular, sendo cada uma indicada para diferentes propósitos. Enquanto as folhas são utilizadas como terapia de reposição hormonal, o fruto possui atividade antioxidante, hipoglicemiante, antiinflamatória e antimicrobiana (Nakamura et al., 2003). Conforme estudo de Naderi e colaboradores (2004), o fruto possui ação protetora contra danos de biomembranas e biomoléculas reduzindo o risco de doenças relacionadas ao estresse oxidativo. Sua principais aplicações são:
Auxilia nas disfunções renais e hepáticas; tratamento de lesões bucais: na contenção de sangramento e na inflamação; utilizado como laxativos e diuréticos, expectorantes, antieméticos e hipoglicemiante; possui atividade anti-inflamatória, antioxidante e cicatrizante, combatendo de radicais livres do organismo.
Posologia
Recomenda-se o uso de 1 à 3g ao dia.
Restrições
-
Interações Medicamentosas
-
Reações Adversas
-
Contraindicação
As cápsulas de amora estão contraindicadas para grávidas, mulheres a amamentar e crianças até aos 3 anos.
Tipo de Receita
-
Sugestão de fórmula manipulada
Cápsulas

Bibliografia
Observações
Foto de Leticia Saifert Picoli
Leticia Saifert Picoli
CRF: 21337
Farmacêutica, e Mestranda em Ciências Farmacêuticas - CRF/PR: 21337. Atuou como consultora na Manipulaê para monitorar e revisar a criação de conteúdo técnico. Farmacêutica Industrial, especialista em Farmacologia Clínica, MBA em Gestão Estratégia Farmacêutica pela FIA. Atuante nas áreas de Gestão de Produto, Marketing Institucional e Novos Negócios.