Ácido Ursodesoxicólico

HOME < Princípios ativos de A a Z

O Ácido Ursodesoxicólico (UDCA) é uma substância naturalmente produzido pelo fígado. O UDCA interfere na suspensão dos cristais de colesterol, bloquea... Continuar lendo

Categoria Fígado

Administração
Uso Oral
Controlado
-
Indicação
O Ácido Ursodesoxicólico (UDCA) é uma substância naturalmente produzido pelo fígado. O UDCA interfere na suspensão dos cristais de colesterol, bloqueando parcialmente a sua precipitação, causa da formação de cálculos biliares de colesterol, bem como pode chegar a dissolver cálculos biliares de colesterol de tamanho pequeno com diâmetro máximo de 1 cm. É um ácido biliar hidrofílico, não tóxico, que apresenta múltiplas atividades hepatoprotetoras, das quais se destacam as propriedades citoprotetoras, antiapoptóticas e imunomodeladoras, assim como um efeito colerético.
Posologia
O composto deve ser administrado por via oral, em dosagem média de 10 a 15mg/kg/peso, sento utilizado doses de 750mg/dia na dissolução de pequenos cálculos. Pode ser usado por tempo prolongado, inclusive de anos. Recomenda-se que o medicamento seja ingerido com água ou leite, preferencialmente antes de deitar, uma vez que estimulará o ciclo enterro hepático, aumentando assim sua eficácia.
Restrições
-
Interações Medicamentosas
- Os sequestrantes dos ácidos biliares podem interferir, reduzindo a absorção do UDCA. Para minimizar este efeito, é recomendado um intervalo de 4 a 6 horas entre as administrações dos dois tipos de drogas.
- Os anti-ácidos com base em alumínio e magnésio, que são absorvidos pelos ácidos biliares também podem interferir na eficácia do ácido ursodesoxicólico. Recomenda-se administrar este medicamento, pelo menos, 1 hora antes e 2 horas depois antiácidos.
- Os estrogênios e os contraceptivos orais aumentam a excreção de colesterol e promovem a formação de cálculos biliares. Estas drogas podem neutralizar a eficácia do ácido ursodesoxicólico.
Reações Adversas
Algumas reações adversas foram relatadas em estudos clínicos, como artralgia e mialgia. Houve casos de efeitos colaterais no trato respiratório (bronquite, faringite, rinite, sinusite e infecções respiratórias). Casos de alopecia e diarreia também foram relatados.
Contraindicação
O ácido ursodesoxicólico é classificado em categoria de risco B na gravidez. Os estudos em nimais não mostraram qualquer efeito na fertilidade ou reprodução.
Tipo de Receita
-
Sugestão de fórmula manipulada

Observações
Foto de Leticia Saifert Picoli
Leticia Saifert Picoli
CRF: 21337
Farmacêutica, e Mestranda em Ciências Farmacêuticas - CRF/PR: 21337. Atuou como consultora na Manipulaê para monitorar e revisar a criação de conteúdo técnico. Farmacêutica Industrial, especialista em Farmacologia Clínica, MBA em Gestão Estratégia Farmacêutica pela FIA. Atuante nas áreas de Gestão de Produto, Marketing Institucional e Novos Negócios.