Possui ação antifibrinolítica (age inibindo a ligação do plasminogênio e da plasmina à fibrina), por este motivo é utilizado no controle e prevenção d... Continuar lendo

Categoria Antifibrinolítico

Administração
Uso Oral
Controlado
Não
Indicação
Possui ação antifibrinolítica (age inibindo a ligação do plasminogênio e da plasmina à fibrina), por este motivo é utilizado no controle e prevenção de quadros hemorrágicos ligadas a várias áreas como cirurgias cardíacas, ortopédicas, ginecológicas, otorrinolaringológicas, urológicas, neurológicas, em pacientes hemofílicos, hemorragias digestivas e das vias aéreas. Profilaxia de quadros hemorrágicos em hemofílicos e outras origens hemorrágicas.


Posologia
Dose a ser ajustada individualmente a cada paciente.
Restrições
Uso adulto e pediátrico
Interações Medicamentosas
Por via oral, até o momento, não foram descritos casos de interação com outros medicamentos
Reações Adversas
Em geral o ácido tranexâmico é bem tolerado. Entretanto, raramente, podem ocorrer reações gastrintestinais como náuseas, vômitos e diarréias, que regridem com a diminuição da dose.
Contraindicação
O ácido tranexâmico é contraindicado em portadores de coagulação intravascular ativa, vasculopatia oclusiva aguda e em pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula.
Tipo de Receita
Receita Simples (branca, 1 via)
Sugestão de fórmula manipulada
Cápsulas

Bibliografia
Observações
Foto de Leticia Saifert Picoli
Leticia Saifert Picoli
CRF: 21337
Farmacêutica, e Mestranda em Ciências Farmacêuticas - CRF/PR: 21337. Atuou como consultora na Manipulaê para monitorar e revisar a criação de conteúdo técnico. Farmacêutica Industrial, especialista em Farmacologia Clínica, MBA em Gestão Estratégia Farmacêutica pela FIA. Atuante nas áreas de Gestão de Produto, Marketing Institucional e Novos Negócios.